Proposta do governo era que integrantes do conselho continuassem no cargo em uma nova gestão sob comando do general Joaquim Silva e Luna — Foto: Reprodução

Por G1 — Quatro membros do conselho de administração da Petrobras informaram na noite desta terça-feira (2) que não aceitarão a recondução ao cargo na próxima assembleia geral extraordinária da estatal. São eles: João Cox Neto, Nivio Ziviani, Paulo Cesar de Souza e Silva e Omar Carneiro da Cunha.

A decisão ocorre após o presidente Jair Bolsonaro indicar o general Joaquim Silva e Luna no comando da petroleira para o lugar de Roberto Castello Branco por críticas à política de preços da companhia. O mandato de Castello Branco acaba em 20 de março.

Em comunicado enviado ao mercado, Cox Neto e Ziviani agradeceram o convite para recondução ao Conselho, mas informaram que não poderão aceitar por “razões pessoais”.

“Em virtude dos recentes acontecimentos relacionados às alterações na alta administração da Petrobras, e os posicionamentos externados pelo representante maior do acionista controlador da mesma, não me sinto na posição de aceitar a recondução de meu nome como Conselheiro desta renomada empresa, na qual tive o privilégio de servir nos últimos sete meses”, acrescentou Carneiro da Cunha Sobrinho, ex-presidente da Shell.