Equipe também vai propor restringir o pagamento do benefício a cerca de 30 milhões de brasileiros. — Foto: © Marcelo Camargo/Agência Brasil

Após o ministro Paulo Guedes admitir publicamente a volta do Auxílio Emergencial, na semana passada, a equipe econômica já prepara mudanças para uma nova rodada de pagamento do benefício. Entre as alterações planejadas por integrantes do Ministério da Economia, está a mudança no nome do auxílio e a redução tanto do valor a ser pago quanto do número de beneficiados.

Segundo fontes da equipe econômica ouvidas pela CNN, uma das ideias é que o Auxílio Emergencial passe a se chamar “Bônus de Inclusão Produtiva”, já apelidado nos bastidores de “BIP”. A ideia é reduzir o valor do benefício para R$ 200, montante menor do que os R$ 300 pagos nas últimas três parcelas encerradas em dezembro e do que os R$ 600 pagos no começo da pandemia.

A equipe de Guedes também vai propor restringir o pagamento do benefício a cerca de 30 milhões de brasileiros, metade dos 64 milhões que receberam o auxílio nas primeiras rodadas. Para isso, contudo, a proposta da equipe econômica é incluir mais brasileiros no Bolsa Família, que deve ter o benefício médio aumentado dos atuais R$ 190 para pouco mais de R$ 200.

Com informações da CNN Brasil