Todas as vacinas produzidas na Fiocruz serão destinadas ao Ministério da Saúde. — Foto: Cadu Rolim/FotoArena/Estadão Conteúdo

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) vai pedir à Anvisa, até o final desta semana, o registro definitivo para a vacina contra a covid-19 da Universidade de Oxford/AstraZeneca. A Fiocruz pretende entregar os documentos finais para o registro do imunizante de Oxford no Brasil e fazer a solicitação à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) até a próxima sexta-feira (29). 

A Fiocruz confirmou, em nota, que a equipe técnica da fundação realizou uma reunião de pré-submissão junto à Anvisa sobre o pedido de registro definitivo da vacina na última sexta-feira (22). A previsão é de que a submissão formal do pedido ocorra até o fim desta semana. 

Inicialmente, a Fiocruz faria a solicitação em 15 de janeiro. Porém, devido aos pedidos de autorização de uso emergencial e da celeridade da Anvisa para essas análises, a Fiocruz foi orientada a marcar a reunião de pré-submissão para a semana posterior.

A nota lembra que, até agora, a Fiocruz tem autorização somente para o uso emergencial de 2 milhões de vacinas importadas prontas do Instituto Serum, da Índia.

O pedido foi feito para que essas vacinas pudessem ser usadas o mais rápido possível e, assim, antecipar a vacinação no Brasil. Entretanto, a autorização para uso emergencial restringe a vacinação a grupos específicos da população. 

A fundação conclui que, para dar amplo acesso à vacina, é necessário o pedido de registro definitivo da vacina Oxford/AstraZeneca para as doses que serão fabricadas na instituição após a chegada do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA).

Todas as vacinas produzidas na Fiocruz serão destinadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.

Fonte: CNN