Substância pode ser tóxica se usada em excesso — Foto: iStock

Os resultados do teste clínico Colcorona mostram evidências de que o uso da colchicina — anti-inflamatório utilizado há décadas para tratar gota — poderia prevenir complicações da covid-19 antes mesmo da hospitalização.

O The Montreal Heart Institute (MHI), que coordenou o estudo, afirmou em comunicado oficial, que o uso da medicação diminuiu em 21% o risco de morte ou hospitalização em pacientes com covid-19 em relação aos que tomaram placebo.

No total, 4.488 pessoas participaram do estudo; destas, 4.159 tiveram diagnóstico positivo para a doença. Entre elas, o uso da colchicina reduziu a necessidade de internação em 25%, a necessidade de ventilação mecânica em 50% e o risco de morte em 44%.

“A pesquisa mostrou a eficácia da colchicina em prevenir a ‘tempestade de citocinas’, reduzindo as complicações associadas à covid-19”, afirmou um dos líderes do estudo, médico Jean-Claude Tardif, que é diretor do Centro de Pesquisa do MHI e professor de Medicina na Université de Montréal.

Tardif acrescentou que o resultado tem um “impacto significativo” em “potencialmente prevenir complicações da covid-19 e milhões de pacientes.”

Substância pode ser tóxica se usada em excesso

A colchicina é um remédio oral usado no tratamento da gota, “uma doença inflamatória que acomete sobretudo as articulações e ocorre quando a taxa de ácido úrico no sangue está em níveis acima do normal (hiperuricemia)”, segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia.

Porém, seu uso indiscriminado e sem supervisão médica tem sérios riscos e pode levar à morte, visto que a medicação é tóxica para o corpo se usada em alta quantidade.

Os sintomas podem levar horas para surgir envolvem, inicialmente, diarreia, náuseas e vômitos. Em uma fase subsequente, pode ocasionar queda de pressão, dificuldade respiratória, insuficiência renal e lesão hepática.

Por isso, o uso do medicamento no Brasil requer receita médica. Ele ainda costuma ser recomendada apenas a pacientes que têm contraindicação para outros anti-inflamatórios.

Portal Grande Ponto via UOL