Operação da PRF no bairro do Bessa, em João Pessoa, apreendeu documentos e celulares de suspeitos de integrar grupo que atua no roubo de cargas — Foto: Walter Paparazzo/G1

Por G1 RN — Uma operação contra uma quadrilha suspeita de roubos de cargas no Rio Grande do Norte, na Paraíba e em Pernambuco prendeu dois homens, na noite desta quinta-feira (22) em Mamanguape, na Paraíba também deu voz de prisão a um homem que já estava detido em um presídio potiguar, nesta sexta-feira (23). A quadrilha é investigada desde julho e cometeu pelo menos sete crimes no RN, segundo o delegado responsável. O número total de crimes praticados nos três estados não foi informado.

A Operação Cargas, realizada em conjunto pela Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, foi deflagrada na noite desta quinta (22), com a prisão dos dois homens na Paraíba.

O suspeito que recebeu voz de prisão no RN, na manhã desta sexta-feira (23), estava no presídio de Ceará-Mirim, na Grande Natal, desde o dia 15 de outubro, após ter sido preso em flagrante com uma carga de caixas de água roubada. Um quarto homem, que também teve mandado de prisão expedido pela Justiça potiguar, continua foragido.

Nesta sexta-feira (23), um mandado de busca e apreensão também foi cumprido em Parnamirim, na região metropolitana de Natal. Outros dois foram cumpridos pela PRF em João Pessoa.

De acordo com o delegado Joacir Rocha, da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (Deprov) do RN, a quadrilha era investigada desde julho e os alvos dos mandados são apontados como os cabeças dos roubos.

Além do preso potiguar, os outros dois homens presos e o foragido são goianos que moravam na Paraíba. Os membros da quadrilha também teriam uma extensa lista de crimes no Centro-Oeste do país.

“Eles são os cabeças, os que planejam e executam os roubos, embora tenham outras pessoas que ajudem eles”, contou o delegado. A quadrilha, segundo ele, pode ter cerca de 12 envolvidos.

Ainda de acordo com os investigadores, os homens atuavam principalmente em rodovias federais, mas também realizaram assaltos em vias urbanas, como a avenida Moema Tinoco, em Natal. Eles não tinham um tipo de carga específica como alvo.

“Eles roubam cargas variadas, como cervejas, caixas d’água, arroz. Mas eles têm um modus operandi. Eles abordam o caminhoneiro de madrugada ou de manhã cedo, levam o caminhão para áreas de matagal onde passam o dia com o motorista como refém, até fazer o transbordo da carga. Então eles fogem e deixam a vítima sozinha, para se virar e procurar ajuda”, contou.

Ainda segundo o delegado Joacir Rocha, os homens são “profissionais” e “experientes” no roubo de cargas. Um deles já havia sido preso no ano passado e ficou seis meses detido. “Após ele ter sido solto, continuamos monitorando, porque sabíamos que ele voltaria a delinquir”, contou.

Ainda de acordo com o delegado, as investigações ainda vão prosseguir. Equipamentos eletrônicos e documentos apreendidos durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão poderão ajudar a polícia a identificar outros suspeitos.