Gilton, que fugiu, foi preso após se envolver em um grave acidente — Foto: Reprodução

Por O Dia — Um dia antes do assassinato de Thayane Nunes da Silva, Gilton Santos Pinto fez uma declaração para a mulher na última foto que a arquiteta compartilhou. “Meu tudão”, escreveu o suspeito na quarta-feira. E ela respondeu: “Vida”. Na quinta-feira, a jovem foi morta por asfixia na residência do casal, em Campo Grande, na Zona Oeste.

Após matar Thayane, Gilton fugiu em direção ao Sul do estado. No caminho, ele gravou um vídeo nas redes sociais em que pede “mil desculpas pelo que aconteceu”, mas não especificou o motivo das desculpas. Na sequência, ele apagou o vídeo. Mas, algumas pessoas gravaram antes que ele pudesse apagar.

“Gente, eu estou aqui pedindo mil desculpas pelo que aconteceu hoje, para depois não me julgarem, julgarem os meus familiares. Porque a vida, é, ninguém sabe o que se passa com um casal”, afirma Gilton no vídeo.

Gilton se envolveu em um acidente na Rio-Santos. Ele foi socorrido no Hospital Municipal da Japuíba, onde recebeu voz de prisão na manhã desta sexta-feira. O homem bateu com o carro em outros dois veículos. Além dele, outras sete pessoas ficaram feridas, algumas em estado grave.

Nas redes sociais do empresário, as declarações de amor para Thayane eram frequentes. No dia do aniversário da arquiteta, ele prometeu “nunca faltar respeito , amor e carinho e admiração” na união do casal.

“Parabéns, vida. Te amo muito. Ano muito importante para sua vida, nossas vidas!! Neste dia tão significativo gostaria de agradecer o apoio que sempre me deu. São esses detalhes que fazem a diferença. Se hoje posso lhe desejar felicidades com tanta sinceridade e amor, é porque soubemos cuidar muito bem um do outro. Birras tem sim, sou chato sim e você também. Implicante sou e você também. O importante nunca vai faltar respeito , amor e carinho e admiração. Te amo muito. Os trilhos são bons condutores para o início de nossa jornada; até alçarmos voo que está logo ali”, escreveu Gilton.

Testemunhas relatam brigas por ciúmes

Testemunhas relataram em depoimento à delegada Bianca Gebara, da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), nesta sexta-feira, que Gilson Santos Pinto matou por ciúmes a esposa. Elas ainda disseram que ele falou após matar Thayane que iria “atrás do amante da companheira”.

A enfermeira e prima da vítima Flávia Tavares, comenta um pouco do sentimento dos familiares com a morte de Thayane e da saudade que fica. “Nossa família está destroçada, foi uma tragédia. Todos estão sem acreditar no que aconteceu e muito abalados. Ninguém nunca percebeu ou presenciou qualquer coisa que pudesse dar algum indício que ele seria capaz de fazer algo tão absurdo. A Thayane adorava viver, gostava de aventura, de fazer exercícios, era cheia de vida e teve sua história interrompida dessa forma, infelizmente”, desabafa.