Suspeito confessou o crime e disse que teve um caso com a vítima, e que ela o pressionava para assumir a relação — Foto: José Aldenir/Agora RN

Por G1 RN — Uma mulher de 24 anos foi encontrada morta enterrada no quintal de uma casa em São Gonçalo do Amarante, Grande Natal, nesta quarta-feira (27). O imóvel pertence a um professor de 27 anos, que confessou o crime e está preso.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito, que é casado, alegou em depoimento que havia tido um caso com a vítima tempos atrás, e que ela o estava procurando novamente para que assumisse o relacionamento. Seria esse, segundo ele, o motivo do assassinato.

O professor também disse à polícia que a vítima afirmava ter tido um filho dele. Contudo, de acordo com o delegado Cláudio Henrique, que apura o caso, a mulher não tinha filhos.

A mulher estava desaparecida desde o dia 14 de maio. Na sexta-feira da semana passada, dia 22, a irmã dela procurou a Delegacia de Capturas (Decap) para comunicar sobre o desaparecimento. Ao delegado Cláudio Henrique, ela disse que a irmã havia saído para se encontrar com um professor não mais voltado.

O suspeito ensina Física e já tinha sido professor da vítima. Nesta terça-feira (26), ele foi interrogado pela primeira vez pelos investigadores. De acordo com o delegado Cláudio Henrique, o homem negou qualquer envolvimento no desaparecimento.

Entretanto os policiais conseguiram identificar o motorista de aplicativo que levou a vítima até o local em que ela se encontrou com o professor. Era a casa da mãe dele, que fica em um condomínio em São Gonçalo do Amarante.

No condomínio, os policiais tiveram acesso às câmeras de segurança. Ainda segundo o delegado, as imagens mostram o momento em que a mulher desce do carro, solicitado por aplicativo, e se encontra com o suspeito. Os dois então teriam saído juntos em uma motocicleta guiada por ele.

O professor foi chamado à delegacia pela segunda vez, nesta quarta (27), e assistiu às filmagens. Foi questionado novamente e confessou o crime à polícia. O delegado Cláudio Henrique conta que o próprio suspeito mostrou à equipe da Decap onde havia enterrado o corpo.

Depois que saíram do local marcaram para o encontro, eles seguiram até a casa em que mora o suspeito, também em São Gonçalo do Amarante, onde ocorreu o crime. O professor disse em depoimento que matou a vítima esganada.

Porém, segundo a polícia, há marcas de cortes no cadáver. O corpo ainda passará por exames no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), para que se precise a causa da morte. O suspeito também alega que cometeu o assassinato em “um momento de desespero”, mas a polícia acredita que ele premeditou o homicídio.

A residência em que o corpo foi encontrado é a mesma o professor mora com a esposa e o filho de quatro meses de idade. Entretanto, segundo o delegado Cláudio Henrique, ele vivia sozinho no local há algum tempo. A mulher e a criança estão na casa da sogra dele.

Após a prisão em flagrante e confessar o assassinato, o homem está preso e deve ser submetido a uma audiência de custódia nesta quinta-feira (28).