A informação é do presidente da Sociedade Norte-rio-grandense de Infectologia, Igor Thiago Queiroz — Foto: Reprodução

Por Grande Ponto — A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) vai alterar o protocolo médico em relação ao uso da cloroquina em pacientes com coronavírus. O medicamento deverá deixar de ser utilizado para quem está em estado grave, já internado no hospital. Mas, seu uso passará a ser recomendado para quem tem sintomas leves da doença, como forma de tratamento.

A informação é do presidente da Sociedade Norte-rio-grandense de Infectologia, Igor Thiago Queiroz, um dos cinco profissionais de saúde da Sesap responsáveis pelo protocolo. A notícia é destaque na Tribuna do Norte.

“O que a gente vê das últimas evidências, de estudos publicados em revistas internacionais, é que a hidroxicloroquina foi utilizada numa fase muito tardia do adoecimento, não tínhamos aquela orientação sobre divisão de fases. O que a gente vê, nesses estudos, é que quem fez uso da cloroquina, nessa fase tardia, não teve benefício. Pelo contrário, aumento o risco de efeitos colaterais e a mortalidade. Não vamos recomendar usar hidroxicloroquina no hospital, no paciente que já interna grave”, disse o médico durante coletiva de imprensa promovida pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN (Lais) nesta quarta-feira (27).

No caso de pacientes em estado leve, fora do hospital, a recomendação da comissão dos médicos, segundo Igor Thiago Queiroz, é de que “possa ser feito a critério do médico. Já temos respaldo do povo de vista do Ministério da Saúde e do Conselho Regional de Medicina do RN, mas que seja feita de forma acompanhada, que priorizem os estudos clínicos”.