Parlamentares cobraram mais transparência do governo estadual sobre a utilização dos recursos da União — Foto: João Gilberto

Durante o horário destinado aos líderes de partidos, na sessão ordinária desta quinta-feira (21) na Assembleia Legislativa, realizada por videoconferência, os parlamentares cobraram mais transparência do governo estadual sobre a utilização dos recursos advindos da União para combater a pandemia; fizeram críticas ao Governo Federal; e celebraram a chegada da ajuda financeira destinada aos municípios, através de suas emendas.

O deputado Coronel Azevedo (PSC) agradeceu mais uma vez pela votação favorável ao seu projeto de lei sobre a suspensão dos empréstimos consignados de servidores ativos, inativos e pensionistas. “Agora a matéria deverá ser publicada e encaminhada à governadora para sanção ou veto. Esperamos que seja sancionada o mais breve possível”, acrescentou.

O parlamentar disse ainda que protocolou requerimento dirigido à governadora Fátima Bezerra e à Secretaria de Saúde solicitando esclarecimentos a respeito da utilização dos recursos do advindos do Governo Federal para enfrentar o novo Coronavírus. “Queremos que a governadora nos mostre o detalhamento da aplicação desse dinheiro, que faça melhor comunicação para o povo. Mas, além disso, a Assembleia Legislativa criou uma comissão de seis deputados para acompanhar e fiscalizar o uso desses recursos”, explicou.

Coronel Azevedo falou ainda sobre um segundo requerimento enviado ao Governo do Estado, em que indaga se a cloroquina e a hidroxicloroquina estão sendo disponibilizadas na rede pública estadual, conforme repasse do Governo Federal.

“A rede privada tem feito uso desses medicamentos no tratamento de pacientes com a Covid-19. As pessoas ricas, famosas, políticos, secretários têm usado esses fármacos. Itália, França, Espanha, China, Rússia, Estados Unidos têm feito a utilização desses remédios. Todo medicamento tem contraindicações. Então é só a gente ofertar para a população pobre essa alternativa e, caso a pessoa queira fazer uso, ela terá essa opção”, argumentou.

Continuando os discursos dos líderes, Sandro Pimentel (PSOL) criticou a atuação do Governo Federal na condução dos trabalhos de combate à pandemia.

“Eu gostaria de dizer que Bolsonaro já está credenciado de forma irresponsável a pedir música no Fantástico. Depois do Mandetta e do Teich, agora vem o Pazuello, que será o terceiro ministro da Saúde do Brasil em tempo recorde de um mês. Destaco que eles deixaram o governo apenas por assumir opiniões divergentes do presidente. Posições essas que eram, de fato, as melhores para o povo brasileiro. Para Bolsonaro, o erro crucial cometido pelos ex-ministros foi o de reafirmar as recomendações da Organização Mundial de Saúde e de pesquisadores de todo o mundo em relação à pandemia da Covid-19”, repreendeu.

Sandro acrescentou, dizendo que Bolsonaro se baseia apenas em “achismos” e tira do governo quem não segue suas ordens.

“A escolha de Bolsonaro para ocupar interinamente o Ministério da Saúde evidencia isso, tanto que ele abriu mão de um médico para colocar um militar sem qualquer formação na área da Saúde. O general Eduardo Pazuello, que provavelmente será efetivado na pasta, tem formação de paraquedista e, inclusive, já nomeou mais 9 militares para serem seus auxiliares. Isso não aconteceu nem na ditadura militar. Ou seja, o presidente quis colocar alguém à sua imagem e semelhança. Tanto que a primeira medida do novo ministro foi a liberação da cloroquina, a mando de Bolsonaro, que se tornou especialista em medicina, o mais entendido de Saúde Pública no mundo”, criticou.

De acordo com o deputado, a utilização da cloroquina tem sido contraindicada por médicos em todo o mundo, exceto em situações graves da doença. “Inclusive o próprio Mandetta alertou, semana passada, que essa liberação poderá fazer com que muitas pessoas morram de ataque do coração, em casa”, complementou.

Sandro Pimentel destacou também sua alegria ao saber que suas emendas de R$ 200 mil chegaram aos destinos. “Eu indiquei R$ 100 mil para Natal e R$ 100 mil para Ceará-Mirim, e os dois créditos já foram depositados na conta dos respectivos conselhos municipais de saúde. O que esperamos agora é que os prefeitos cuidem bem desses recursos e façam uso da melhor forma possível, para que a população seja beneficiada, porque nós sabemos das dificuldades enfrentadas pelos municípios. Faltam EPIs, máscaras, álcool, enfim, o básico necessário para cuidar do povo em meio à crise”, frisou.

Finalizando, o parlamentar disse estar feliz em saber que a CPI da Arena das Dunas teve os cinco nomes indicados. “O presidente já anunciou que haverá reunião na próxima segunda-feira (25), e nós esperamos que a comissão cumpra o seu papel, em defesa do povo potiguar”, concluiu.

Dando continuidade aos discursos do horário das lideranças, Francisco do PT criticou a fala do deputado Coronel Azevedo, nesta sessão ordinária, acerca do Partido dos Trabalhadores (PT).

“Nesse tempo de pandemia, nós temos ouvido com muita intensidade o apelo de alguns colegas pela união em torno de ações e proposições que nos ajudem a enfrentar com altivez o novo Coronavírus. E também para que a gente não partidarize esse debate, a fim de que nossa união possa trazer frutos importantes para a retirada do nosso país desse cenário extremamente difícil. Mas, ao ouvir hoje as falas do Coronel Azevedo, eu não posso, como líder do PT, simplesmente ignorar ou fingir que não ouvi as gravíssimas acusações e generalizações feitas pelo deputado, no seu fanatismo pela defesa de Bolsonaro”, censurou.

Francisco do PT esclareceu não estar questionando o fato de o Coronel Azevedo ter criticado a frase do ex-presidente Lula, mas o de afirmar que todos os petistas são ladrões e corruptos.

“O coronel, no seu empenho em defender Bolsonaro e suas ideias conservadoras de extrema direita, chegou ao patamar de fazer generalizações que colocam os milhões de brasileiros filiados ao PT num conceito de corrupção. E eu pergunto aqui: quem não erra? Qual partido não tem erros para refletir sobre eles? Eu sou petista há 30 anos e me senti profundamente ofendido e desrespeitado por essa fala generalizada, que trata todos os petistas como ladrões e corruptos. Isso é de uma infelicidade imensa, porque a democracia permite o contraditório das ideias, mas isso tem que ser feito a partir do respeito pela pluralidade de pensamento e pela opção que as pessoas têm de escolher seus partidos políticos”, desabafou.

Ainda durante o horário das lideranças, o deputado Gustavo Carvalho (PSDB) comunicou que nesta sexta-feira (22) acontecerá a primeira reunião da Comissão de Administração, à qual ele preside e tem ainda como membros Isolda Dantas (PT) e Dr. Bernardo (Avante). “Eu gostaria de informar isso a vocês, já que muitos projetos de lei estão lá. Nós pretendemos zerar a pauta da comissão amanhã mesmo”, disse.

Finalizando, Gustavo registrou sua satisfação pela retomada das obras da barragem de Oiticica, cuja paralisação havia sido criticada pelo seu mandato. “Estou muito feliz pela volta das obras da barragem. Da mesma forma que fiz a crítica, quero aqui louvar a retomada de uma das obras mais importantes para o desenvolvimento do nosso Estado”.