Exército produzirá em larga escala — Foto: Prefeitura de Suzano

Por Poder 360 — O Ministério da Saúde está aumentando os estoques da cloroquina para o tratamento da covid-19. Quer disponibilizar 6,8 milhão de comprimidos (de 150mg) até agosto.

A pasta já tem disponíveis 1,4 milhão de doses. O restante será produzido pelos laboratórios do Exército e de Farmanguinhos a partir de junho. O objetivo é realizar 375 mil tratamentos.

O ministério divulgou nesta 4ª feira (20.mai.2020) os protocolos para o uso da cloroquina (íntegra – 405 KB). Recomenda o uso desde o 1º dia da presença dos sintomas. Estabelece que são necessários 18 comprimidos por tratamento. Não recomenda a autoprescrição do medicamento. A distribuição será feita mediante apresentação de receita médica.

“O que o Ministério da Saúde está recomendando não é a autoprescrição do medicamento. É o direito para que todos os brasileiros possam ter acesso à medicação, a partir da avaliação médica, já regulada pelo Conselho [Federal de Medicina]”, disse Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde.

Usada para o tratamento de malária e lúpus, a cloroquina não tem eficiência comprovada no tratamento da covid-19. Ensaios clínicos, pesquisas acadêmicas e análises científicas indicam que o grau de eficácia contra a covid-19 é muito baixo. Nesta 4ª feira (20.mai), a Organização Mundial da Saúde reforçou esse posicionamento.

O Ministério da Saúde disse que o aumento dos estoques do fármaco é uma medida necessária para assegurar o acesso ao medicamento no país. O órgão não divulgou o custo da produção da cloroquina. Questionada se, caso a cloroquina venha a se provar ineficaz, os recursos não estariam sendo desperdiçados, a secretária disse que “a vida não tem valor”.

disponibilidade cloroquina 150 mg* tratamentos possíveis previsão de distribuição
almoxarifado do Ministério da Saúde 1.462.000 81.222 imediata
produção do Laboratório Químico Farmacêutico do Exército 1.300.000 72.222 a partir de 10.jun
Laboratório Farmacêutico Federal Farmanguinhos 4.000.000 222.220 a partir de 10.jun
total 6.762.000 375.364

O presidente Jair Bolsonaro é entusiasta do remédio. O ex-ministro da Saúde Nelson Teich era contra a disponibilização da cloroquina na fase inicial dos sintomas da covid-19. Isso foi o estopim para o pedido de demissão dele, na semana passada.

O general Eduardo Pazuello assumiu interinamente o cargo com a saída de Teich. Ele não esteve na apresentação do protocolo da cloroquina nesta 4ª feira, no Palácio do Planalto. Participaram da entrevista à imprensa:

Élcio Franco, secretário-executivo adjunto;
Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde;
Adriana Teixeira, diretora do Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e Urgência;
Alvimar Botega, coordenador-geral de Assistência Farmacêutica de Medicamentos Estratégicos.

Eis a íntegra da apresentação (1 MB). Assista abaixo:

LEITOS DE UTI

Desde o início de abril, o governo federal habilitou 6.142 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) voltados exclusivamente para pacientes de covid-19, ao custo de R$ 882,3 milhões, pagos em parcela única. A medida contempla a população de 13 Estados.