A valorização do artesanato e cultura potiguar são elementos chaves para seus organizadores. — Foto: Canindé Soares

Em seus 25 anos de realização, a Feira Internacional de Artesanato – FIART sempre prezou em oferecer ao seu público um ambiente de comércio, com foco na cultura e no entretenimento. A valorização do artesanato e cultura potiguar são elementos chaves para seus organizadores.

O episódio ocorrido na última sexta-feira (31), quando um grupo de manifestantes tentando criar um tumulto de cunho político em plena feira, e que foi reprovado pelos visitantes presentes, é totalmente repudiado pela organização da FIART.

“Em todos esses anos de total sucesso, a FIART nunca registrou tal fato. É preciso ter respeito ao nosso público e adversidades políticas não devem fazer parte de um histórico de sucesso de um evento consolidado no Estado”, declara Neiwaldo Guedes, coordenador geral da FIART.

A importância de Macau, assim como todos os outros municípios participantes da FIART, mostrando seu artesanato, sua cultura, deve ser respeitado e prestigiado. A verdadeira identidade de um povo está na cultura e isso independe da política, das adversidades e dos interesses de um grupo.