Sargento Luiz Galdino da Silva se apresentou nesta quarta-feira, dia 13, à Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) — Foto: Arquivo pessoal

Por Anderson Barbosa/Agora RN — O sargento da Polícia Militar Luiz Galdino da Silva – suspeito de matar a tiros sua ex-companheira, a enfermeira Dayana Dayse Oliveira de Lima, de 29 anos – deve ficar preso por pelo menos 30 dias.

Segundo a Polícia Civil, a prisão temporária do PM foi decretada pela Justiça no início da tarde desta quarta-feira, 13, após ele se apresentar à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O PM está sendo ouvido pela delegada Jamile Alvarenga, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O CRIME

Dayana, que trabalhava no SAMU, foi assassinada no início da semana, na frente de casa, no bairro Pajuçara, na Zona Norte da cidade. Um dos filhos dela, uma criança pequena, teria visto a mãe ser morta.

Segundo a DHPP, havia uma medida protetiva contra o sargento, que o proibia de se aproximar da enfermeira.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, uma testemunha disse ter visto o sargento deixar o local do crime logo após os disparos. O PM teria ido à casa de Dayana, chamado por ela no portão, e quando ela saiu, já na calçada, atirou nela.