Barco do RN apreendido com 1 tonelada de cocaína não teria saído do Porto de Natal — Foto: PF/Divulgação

O barco pesqueiro “Wood”, que foi apreendido com cerca de uma tonelada de cocaína pela Polícia Judiciária de Portugal, estava com sua documentação em dia. A informação foi confirmada pela Marinha do Brasil, por meio de nota. A embarcação consta como inscrita na Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte.

A nota informa ainda que o pesqueiro “Woods” cumpriu o procedimento de despacho que a autorizava a ingressar “em qualquer porto ou terminal aquaviário nacional” até pelo menos dia 2 de julho, quando venceria a autorização. A Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN) também emitiu nota sobre o assunto para afirmar que a embarcação não saiu do Porto de Natal.

Na avaliação da CODERN, a apreensão de drogas feita em alto-mar indica que os traficantes que estavam usando o Porto de Natal resolveram mudar sua estratégia. “O fato demonstra que os criminosos estão buscando outras vias para o transporte da droga”. Na opinião da CODERN, isso é uma prova de que a fiscalização no Porto de Natal tem dado resultado.

Atualmente a Polícia Federal e a Receita Federal auxiliam nessa fiscalização para evitar que mais cocaína seja embarcada para a Europa usando contêineres que passam pelo Porto de Natal. Os homens foram presos dia 28 de maio, em alto-mar, próximo a Cabo Verde pela polícia e marinha portuguesas após informações repassadas pela Polícia Federal do Brasil.

As identidades dos marinheiros presos bem como o nome do proprietário do barco ainda não foram divulgadas. Sabe-se apenas que, dos sete presos, um é paraibano e os outros seis potiguares. Ao chegar no porto de Lisboa, dia 3 de junho, foi encontrada a carga de cocaína em um compartimento da embarcação. Todos os sete tripulantes, com idades entre 36 e 64 anos, estão presos à disposição da justiça portuguesa e serão processados em Portugal.