Deputado federal eleito e diplomado pelo RN, João Maia — Foto: Arquivo / Beto Oliveira / Agência Câmara Notícias

O Rio Grande do Norte tem o número mínimo de deputados federais (8). Mas essa pouca representatividade quantitativa pode ser compensada no aspecto qualitativo, pela performance dos nossos representantes, e pela união da bancada em torno de metas comuns para o RN.

Proponho criarmos uma agenda comum da bancada com reivindicações estratégicas para o estado em Brasília, algo que faça frente aos nossos problemas estruturais e, também, às potencialidades econômicas que temos aqui.

Alguns exemplos: a solução definitiva para a escassez de água com dessalinização em larga escala; a implantação de uma rede interiorizada de banda larga para levar internet por fibra ótica para os municípios nas diversas regiões do estado; a implantação de fazendas de energia solar em todo o sertão. São projetos que podem e devem unir os poderes, as associações e federações de empresários e trabalhadores e nossos representantes políticos em Brasília.

Uma outra meta que deve ser trabalhada com urgência é a implantação do CEINT – Centro de Integração e a Distribuição de Cargas e Encomendas dos Correios no aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Em meados de 2016 o então presidente dos Correios, Guilherme Campos, veio a Natal para anunciar: O CEINT que a empresa projetava para a região Nordeste seria implantado no Rio Grande do Norte. Na ocasião, foi assinado um Protocolo de Intenções entre a ECT e a Inframerica, dona do aeroporto.

Além de gerar centenas de empregos, essa iniciativa pode ser um primeiro passo para a consolidação do RN como pólo logístico da região Nordeste, dada nossa localização geográfica e em face do já existente aeroporto de cargas, algo que poderá transformar nossa atual realidade econômica e social.

No âmbito dos Correios, a informação é de que a implantação do CEINT foi sobrestada por mudanças internas entre as quais o surgimento de um novo projeto de logística integrada – a parceria entre os Correios e a Azul Linhas Aéreas. Essa parceria que poderá alterar o perfil do Centro Logístico potiguar, para pior ou para melhor: Para pior, por torná-lo desnecessário, matando-o. Para melhor, por torná-lo um CEINT expandido que agregaria, também, atividades de uma empresa aérea, a Azul.

A parceria da ECT com a Azul está em fase final de aprovação no CADE. É urgente retomarmos o assunto de onde parou.

Os políticos precisam deixar as disputas partidárias para os palanques e, ao assumirem seus mandatos, fazerem aquilo que o cidadão espera: trabalharem e juntarem forças para resolverem os problemas do estado. Afinal, é isso o que dá sentido à luta que se enfrenta na disputa pelos votos.

João Maia, deputado federal pelo RN

Abaixo o artigo publicado na edição impressa do jornal Tribuna do Norte deste sábado, dia 11 de janeiro. Confira: