O tucano faz duras críticas ao Partido dos Trabalhadores (PT) (Foto: Lucio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados)

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB) optou por um caminho oposto ao do seu correligionário tucano, o presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), que anunciou nesta sexta o seu apoio à candidatura da senadora petista Fátima Bezerra (PT) ao governo do Rio Grande do Norte.

Opositor declarado de qualquer projeto político encabeçado por partidos de esquerda, Rogério Marinho divulgou na tarde desta sexta-feira, 19, uma nota, onde reiterou apoio à candidatura de Carlos Eduardo (PDT) para o Governo do RN, e à Jair Bolsonaro (PSL) para presidente da República. O tucano faz duras críticas ao Partido dos Trabalhadores (PT).

“O pior pecado é a omissão. É evidente que nosso voto como cidadão e nossa ação política são a favor de Carlos Eduardo, para governador, e Bolsonaro, para presidente da República”, enfatizou o deputado federal.

Apesar de não ser surpresa o posicionamento de Rogério, o anúncio chama atenção no dia de hoje por coincidir com o mesmo o dia em que o presidente estadual de seu partido, o deputado estadual reeleito e presidente da Assembleia Legislativa do RN, Ezequiel Ferreira, oficializou o apoio à candidatura de Fátima Bezerra, juntamente com outros deputados do “tucanato” potiguar.

“Não votar na senadora Fátima Bezerra e Haddad do PT é um dever de quem ama o Rio Grande do Norte e o Brasil. Eles representam tudo que combatemos na política”, diz o deputado em determinado trecho da nota, que atinge em cheio a decisão de Ezequiel Ferreira em migrar para o outro lado do barco.

Rogério Marinho, que não conseguiu reeleição neste pleito, encerra o comunicado lamentando o destino do RN, por votar na candidata petista.

“Votar em Fátima Bezerra do PT é afundar ainda mais o nosso Rio Grande do Norte e quem irá sofrer é o povo potiguar”.

Leia a nota na íntegra:

O segundo turno é um plebiscito: ou se vota em quem acredita, ou pela rejeição a um projeto. O pior pecado é a omissão. É evidente que nosso voto como cidadão e nossa ação política são a favor de Carlos Eduardo, para governador, e Bolsonaro, para presidente da República.

O PT é o responsável pela brutal crise econômica, moral e política que o Brasil ainda atravessa. A apropriação do Estado como patrimônio pessoal de um partido foi o método detestável que apequenou as instituições e institucionalizou a corrupção em nome de um projeto de perpetuação no poder e de idolatria a um presidiário.

Não votar na senadora Fátima Bezerra e Haddad do PT é um dever de quem ama o Rio Grande do Norte e o Brasil. Eles representam tudo que combatemos na política: atraso, corporativismo, patrimonialismo, princípios anticristãos, visão deturpada da educação e favorável à doutrinação de esquerda nas escolas, incentivo a invasões de propriedades urbanas e rurais, divisão do país entre nós e eles, ódio aos empreendedores e defesa à intervenção excessiva do Estado na economia.

Ou seja, ingredientes que fazem uma perfeita receita de fracasso em um estado já castigado e fragilizado por sucessivas administrações equivocadas, apenas administrando déficits e escassez. Evidente que haverá, com a eleição de Bolsonaro presidente, o descolamento entre as políticas federais e as do estado do RN com o PT no comando.

Em suma, votar em Fátima Bezerra do PT é afundar ainda mais o nosso Rio Grande do Norte e quem irá sofrer é o povo potiguar.

Rogério Marinho
Deputado Federal