Presidente da Faern, José Vieira, explicou que todas as Federação ligadas à CNA seguiram essa orientação (Foto: Divulgação)

A Federação da Agricultura do Rio Grande do Norte, acatando à decisão da Confederação da Agricultura do Brasil (CNA), decidiu fechar apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) à presidência da República no segundo turno.

Em entrevista à 96 FM, o presidente da FAERN, José Vieira, explicou que todas as federações de agricultura do País seguiram essa orientação por entender que o candidato é o que mais atende aos pleitos do agronegócio brasileiro.

Ele disse, ainda, que a situação dos produtores rurais do estado se agravou bastante desde o ano passado, quando mais de 20 mil propriedades rurais deixaram de produzir, encerrando suas atividades.

Explicou que essa situação foi amenizada no estado por atividades como fruticultura, carcinicultura e cana de açúcar, mas que a escassez hídrica e o endividamento rural seguem penalizando os agricultores.

José Vieira elogiou a gestão do governador Robinson Farias e disse que o secretário Guilherme Saldanha, da Agricultura, foi o melhor gestor que a pasta teve nos últimos anos.

Acrescentou que os esforços de Robinson com a Lei Cortez Pereira para o camarão e a atuação do Idema, facilitando processos de licenciamento, surtiram efeitos positivos no campo.

Mas insistiu que a atuação do Ministério Público continuou danosa à produção, razão pela qual a plataforma política do candidato Bolsonaro uniu os dirigentes rurais neste momento.