A soldado Juliana Cristini Gonçalves de 26 anos trabalha no 40º batalhão da Polícia Militar de Votorantim, São Paulo. Ela concilia diariamente as suas tarefas de mãe e os treinos na academia para se manter em forma. Trabalhando a quatro anos na Polícia Militar, a moça não esconde o charme de seus olhos verdes e cabelo louro mesmo com a farda da corporação.
A rotina compartilhada pela policial nas redes sociais rendeu cerca de 27 mil seguidores no Instagram da servidora pública, que vem sendo chamada de “Gata da PM” ou “PM deusa” na internet. Juliana chegou a ser comparada com a personagem Jeiza, de “A Força do Querer”, interpretada pela atriz Paolla Oliveira.
No folhetim das 21h da TV Globo, a personagem trabalha no Batalhão de Ação com Cães e é conhecida por sua bravura além de ser um grande símbolo de beleza e sensualidade.

Em entrevista ao portal G1, a policial Juliana falou sobre a repercussão que seu perfil vem conquistando: “Vou postando porque eu gosto. Gosto de tirar foto, de filmar, e vejo que isso acaba motivando as pessoas. Recebo muitas mensagens de inspiração, de motivação, e isso é muito legal, porque você se sente bem quando você motiva as pessoas e acho que o militarismo na novela tem influenciado”, diz.

Ela afirmou ainda que se inspirou no irmão para fazer parte da PM, já que ele também é militar. “Tudo que é ligado com treinamento eu gosto bastante e é prazeroso você poder ajudar as pessoas. É isso que a gente faz: procura ajudar o próximo e tratar bem”, diz a loira.

Antes de trabalhar combatendo o crime, Juliana estudou Ciências Biológicas e trabalhou como professora de biologia e ciências nas cidades e Ibiúna e Vargem Grande, mas já pensava em seguir a carreira na polícia.

A soldado Juliana Cristini Gonçalves já conta com mais de 27 mil seguidores no Instagram – Reprodução

“Inicialmente, pensei em entrar para a [Polícia Militar] Ambiental e no futuro prestar para perito criminal, que ainda é um dos meus sonhos. Quero seguir carreira na polícia, continuo estudando para prestar as provas para oficial”, conta.

A policial mantém a forma física, algo importante para sua rotina, uma vez que é realizado um teste de aptidão física uma vez por ano pela instituição. Juliana trabalha interna no batalhão, mas sempre que necessário, realiza operações nas ruas.

“É legal, porque as pessoas vêm até mim para perguntar e falam que eu sou uma motivação e uma in inspiração para elas. Isso me deixa feliz. O número de mulheres na PM vem aumentando. De 115 mil policiais no estado, somos cerca de 10 mil . Muitas falam ‘eu me espelho em você’, e é legal porque é diferente para mim. E eu tento mostrar esse lado da minha vida, na polícia também”, diz.

Fonte: G1