Eliza Clívia e seu marido, Sérgio Ramos, morreram em um acidente de trânsito, em Aracaju - Divulgação

Espíritos de porcos, infelizmente existem, e se manifestam até mesmo em um período importante para os cristãos, como foi essa sexta-feira pós Corpus Christi.

Pior é que há casos em que esse tipo de ofensa gratuita que inclui agradecer a morte de terceiros pode vir até mesmo daqueles que se dizem cristãos. Esse parece ser o caso da internauta Estela Martins. Ela escreveu um comentário em uma notícia compartilhada pelo Jornal Extra sobre a morte da cantora de forró Eliza Clívia que deixou muita gente chocada.

Na frase Estela se demonstra aliviada pelo planeta ter se livrado de mais uma “pecadora nordestina”. Ela julga a artista, ex-Cavaleiros do Forró, dizendo que a mesma teve um castigo merecido, já que vivia frequentando festas regadas a muita luxúria.

E ainda completa dizendo que não tem piedade da morte da moça, pois ela apenas recebeu uma punição de Deus por ter afrontado suas regras. Finaliza o comentário dizendo que Eliza foi tarde.

Não demorou muito para que outros internautas reprovassem o comportamento da falsa cristã, dizendo que ela estava usando o nome de Deus para polemizar e ficar famosa. Muitos evangélicos e católicos também protestaram contra a atitude condenável de agradecer pela morte de um ser humano.

Uma fã chega a dizer que a moça vai morrer envenenada com o próprio veneno e que ela está “pagando” de crente e envergonhando quem realmente é fiel e temente ao Senhor.

Outra internauta classifica o comentário como ridículo e avisa que quem está no pecado é quem se sente bem com a morte de seu semelhante.

Há os que já apelam e, sem paciência, já agridem Estela, dizendo que ao se portar assim ela se iguala ao Satanás.

Outros enxergaram no comentário, além de blasfêmia e do uso do nome de Deus em vão, um preconceito contra o povo nordestino, já que a expressão usada é “menos uma pecadora nordestina no mundo”.

Outros internautas ponderaram que Estela é apenas mais uma pecadora e que também ela deve ser alvo de orações. “Em vez de julgar, pense na família dela. Voc6e por acaso tem família?”, diz outro usuário do Facebook.

Eliza Clívia e seu marido, Sérgio Ramos, morreram em um acidente de trânsito, em Aracaju (SE), no início da tarde desta sexta-feira (16). Eles estavam em um veículo de passeio, que bateu fortemente em um ônibus, em um cruzamento no centro da capital sergipana.

Fonte: 365News