O hacker que invadiu o celular de Marcela Temer, mulher do presidente em exercício Michel Temer (PMDB), foi preso nesta quarta-feira (11/5) em sua casa, em São João Clímaco, na Zona Sul de São Paulo. Ele é acusado de extorsão.

Segundo a Folha de S.Paulo, o acusado, que também invadiu uma conta da primeira dama na internet, teria copiado vários arquivos, a agenda e três fotos íntimas. Ele teria exigido dinheiro para não publicar as imagens.

A mulher e a cunhada do hacker, que trabalha como telhadista, também foram presas sob a mesma acusação.

A defesa do acusado diz que o caso deve ser tratado como estelionato e nega que ele tenha cometido outros crimes virtuais. O advogado Valter Bittencourt falou que o hacker “nunca se meteu com isso, apenas viu uma oportunidade de ganhar dinheiro fácil e não percebeu que era a mulher de um homem importante”.