Com investimento de R$ 1,5 milhão, o setor estará distribuído em um espaço de 160 metros quadrados (Foto: Divulgação)

O Ministro da Educação, Rossieli Araújo, inaugurou na tarde do último sábado, 30, as instalações do Bloco Cirúrgico Ambulatorial e da Central de Misturas Intravenosas (CMI) do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL). Com investimento de R$ 1,5 milhão, o setor estará distribuído em um espaço de 160 metros quadrados, formado por salas de cirurgia, no primeiro andar do hospital.

A nova estrutura do Bloco Cirúrgico permitirá o funcionamento do Regime de Hospital-Dia, com a assistência intermediária entre a internação e o atendimento ambulatorial, para realização de procedimentos que requeiram a permanência do paciente na unidade por um período máximo de 12 horas. A implementação das cirurgias ambulatoriais contribuirá para a redução do uso de leitos hospitalares, deixando-os livres para atendimentos de pacientes que exigem cuidados mais complexos, além de reduzir as filas de alguns tipos de cirurgias. Espera-se que 100 procedimentos semanais sejam realizados no espaço. Já a CMI torna o HUOL capaz de manipular medicação e nutrientes, com sistemas especiais de climatização e de barreiras anticontaminação, permitindo que procedimentos como quimioterapia sejam realizados de forma mais segura.

Com investimento de R$ 1,5 milhão, o setor estará distribuído em um espaço de 160 metros quadrados (Foto: Divulgação)

O ministro ratificou a relevância dos hospitais universitários, colocando que “eles têm formado milhares de profissionais, prestado serviços de excelência que a sociedade, às vezes, nem percebe a ligação com a universidade. É importante frisar também que todos os indicadores são positivos: crescimento de procedimentos e de qualidade do serviço, sobretudo”, colocou. A solenidade contou com a presença do presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Kleber Morais, a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, o reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Willys Abel Farkatt Tabosa, além de parlamentares, superintendentes de hospitais federais potiguares e membros das equipes técnicas da UFRN e do Hospital Universitário Onofre Lopes.

Para a gestora potiguar, o espaço propicia uma melhor amplitude dos serviços contratualizados através do Sistema Único de Saúde (SUS), além de ser um espaço de excelência para a prática acadêmica. Na ocasião, o presidente da Ebserh aproveitou para adiantar que, ainda neste ano, a Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC) receberá um novo Centro Obstétrico. De propriedade da UFRN, os dois hospitais estão sob a gestão da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares desde 2013.