Instituto Juvino Barreto foi indicação da deputada em reconhecimento ao trabalho desenvolvido no RN (Foto: Divulgação)

A deputada federal Zenaide Maia participou, nesta quarta-feira (13), da solenidade de entrega do Prêmio Zilda Arns, realizado no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília. O prêmio foi criado pela Câmara no ano passado e leva o nome da médica pediatra e sanitarista que fundou as pastorais da Criança e da Pessoa Idosa.

Entre as cinco pessoas/instituições que se destacaram e receberam a menção honrosa estava o Instituto Juvino Barreto, representado pela Irmã Enide Leite, diretora geral do Instituto. A Irmã Enide foi acompanhada por Mozanita Medeiros – membro do conselho gestor da entidade. A indicação do Instituto foi iniciativa da deputada Zenaide Maia, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido no Rio Grande do Norte. “É uma instituição que atua embasada na dedicação, respeito e responsabilidade no acolhimento de pessoas idosas de todo o RN. É importante que a população reconheça e dê o devido valor a esse lindo e significativo trabalho desempenhado pelas irmãs em favor dos nossos idosos”, declara a deputada Zenaide Maia.

Instituto Juvino Barreto foi indicação da deputada em reconhecimento ao trabalho desenvolvido no RN (Foto: Divulgação)

Para a Irmã Enide, foi uma honra receber tal prêmio. “Conheci de perto o trabalho humanizado, de afeto e amor desenvolvido pela doutora Zilda Arns, na Pastoral da Criança. Eu falo em nome de todos do Juvino Barreto que é uma grande emoção ter o nosso trabalho reconhecido com o prêmio Zilda Arns, ela foi uma pessoa divina!”, comenta a irmã Enide.

Os demais agraciados pelo prêmio foram: a promotora de Justiça Anna Trotta Yaryd (São Paulo); Jairo Ribeiro de Mattos, do Lar dos Velhinhos de Piracicaba (São Paulo); a Irmã Terezinha Tortelli, da Pastoral da Pessoa Idosa (Paraná), e a irmã Conceição, da Fundação Leur Brito. O Asilo Vicentino, do município de Lajes (SC), também foi um dos homenageados.

Sobre o prêmio

O Prêmio foi criado em setembro de 2017 e regulamentado pelo Ato da Mesa 209/2017, sendo uma forma de reconhecimento às pessoas e instituições que contribuíram ou tem contribuído ativamente na defesa dos direitos das pessoas idosas.