Deputada federal Cristiane Brasil (Foto: Reprodução/Facebook/Cristiane Brasil)

A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (12/6), a segunda fase da Operação Registro Espúrio, com o objetivo de aprofundar as investigações a respeito de organização criminosa que atua na concessão fraudulenta de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho. O alvo é a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha de Roberto Jefferson, presidente da legenda.

Policiais federais cumprem três mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília e no Rio de Janeiro, em endereços relacionados a parlamentar, investigada por suposta participação nos fatos apurados. Policiais federais estiveram no gabinete, na Câmara dos Deputados, no imóvel funcional e na casa dela, no Rio de Janeiro, onde a petebista acompanhou a ação.

Além das buscas, a pedido da Policia Federal e da Procuradoria-Geral da República (PGR), serão impostas medidas cautelares consistentes em proibição de frequentar o Ministério do Trabalho e de manter contato com os demais investigados ou servidores da pasta.

Em nota, a deputada afirmou que recebeu os procedimentos investigativos “com surpresa, pois não tem papel nas decisões tomadas pelo Ministério do Trabalho”. “Espero que as questões referentes sejam esclarecidas com brevidade e meu nome limpo”, disse.

Cristiane Brasil chegou a ser cotada para o cargo de ministra da pasta. Decisões da Justiça Federal e do Supremo Tribunal Federal impediram a posse. Ela é acusada de não pagar direitos trabalhistas a ex-funcionários.

Um grupo de oito policiais federais esteve no gabinete de Cristiane Brasil na Câmara dos Deputados (Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles)