Deputado estadual Hermano Morais (MDB) - Foto: João Gilberto

Cerca de 40% do gás de cozinha consumido no Rio Grande do Norte é proveniente dos estados do Ceará e Pernambuco. Quem afirma é o deputado estadual Hermano Morais (MDB) que chamou atenção para a consequente perda de arrecadação de impostos e de postos de trabalho para o RN. O alerta foi feito na manhã desta terça-feira (13), em sessão na Assembleia Legislativa.

“É uma situação que precisa ser revista, principalmente em um momento que o estado procura aumentar a sua arrecadação. Participei de reunião com o secretário estadual de Tributação, André Horta, e tratamos de formas para reverter esse quadro”, disse Hermano.

Segundo o deputado, as distribuidoras de gás que estão sem opção de compra no Estado, em virtude da falta investimento da Petrobras no Rio Grande do Norte são obrigadas a comprar no Ceará e Pernambuco. “A aquisição do gás fora, tem um gasto social. Postos de trabalhos são transferidos para esses estados. E isso porque falta investimento por parte da Petrobras aqui no estado, que tem matéria a prima e com isso está perdendo quase R$ 40 milhões em impostos por ano”, destacou.

Pesar
Hermano Morais ainda registrou o falecimento do ex-deputado federal Ismael Wanderley, ocorrido na segunda-feira (12). “É com grande pesar que o Rio Grande do Norte perde uma figura da importância Ismael Wanderley. Ficamos muito tristes com essa perda”, lamentou. O deputado Gustavo Carvalho (PDSB) acompanhou o voto de pesar. O presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) protocolou requerimento de moção de pesar pelo falecimento do ex-deputado.