Desembargador do Tribunal de Justiça do RN, Cláudio Santos (Foto: Adriano Abreu)

Enquanto isso… Um caso similar com o ocorrido em Parnamirim aconteceu no mês de junho de 2017. No entanto, o desembargador do Tribunal de Justiça do RN, Cláudio Santos determinou a prisão preventiva de um traficante de drogas que havia sido detido com 8 kg de cocaína.

Na época dos fatos, durante uma audiência de custódia, o juiz Jessé Andrade Alexandria, determinou a liberdade provisória sem a necessidade do pagamento de fiança ao traficante por entender que o mesmo não possuía antecedentes criminais.

Contudo, provocado pelo Ministério Público, o desembargador Cláudio Santos reverteu à decisão e determinou a prisão imediata do traficante, que foi cumprida pela Polícia Federal.

O magistrado entendeu que “uma pessoa com uma quantidade de drogas que o homem estava deve ser esclarecido de onde veio e para onde vai”. Por isso, Cláudio Santos determinou que o homem permanecesse preso para que fosse investigado e que ele não comercializasse mais drogas.

Com informações da Tribuna do Norte