Prefeito Robson Araújo (Batata) durante discurso na Câmara Municipal de Caicó: (Foto: Câmara Municipal de Caicó/Divulgação)

Do G1 RN – Uma palavra deixada no discurso do prefeito Robson Araújo (PSDB), foi suficiente para gerar constrangimento e polêmica durante a abertura do ano legislativo da Câmara Municipal de Caicó – cidade da região Seridó potiguar. É que, em determinada parte do texto, os caicoenses, como são conhecidos os mais de 62 mil habitantes do município, foram chamados de soteropolitanos (gentílico usado para quem nasceu ou vive em Salvador).

Após encontrarem o erro, vereadores e outras pessoas que estavam na Câmara e receberam o texto impresso encontraram várias semelhanças entre a fala de Batata e o discurso lido pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), na abertura do ano legislativo da capital baiana em 2015. Eles acusaram o prefeito de plágio.

Procurada, a equipe do prefeito Batata, como Robson Araújo é conhecido, confirmou que ele usou o texto do prefeito de Salvador para “formatar” o seu discurso, mas negou plágio.

A leitura aconteceu na última segunda-feira (19). Desde então, o assunto é muito comentado pela população da cidade. A estudante Carla Murielli de Medeiros, de 27 anos, considerou a situação engraçada e constrangedora, ao mesmo tempo. “Uma pessoa que tem um cargo tão importante fazer um papel desse, é engraçado”, diz.

O G1 comparou os dois textos, disponibilizados no site da prefeitura de Salvador e no site da Câmara Municipal de Caicó. Em alguns trechos, há parágrafos praticamente iguais. Confira abaixo.

“Aconteceu a cópia. A gente sempre recebe o texto e vimos logo que, no lugar de caicoenses, como somos, tinha soteropolitano. Após a sessão, a gente fez uma consulta na internet e viu que era o discurso de ACM em 2015”, afirmou o vereador Alisson Jackson (Pros), que faz oposição ao prefeito.

“A população fica decepcionada. Se nem o discurso a prefeitura sabe fazer, quanto mais projetos que o município precisa. Estou no meu segundo mandato e vejo que é sempre assim. Fazem discursos bonitos, mas não transformam 30% em ações concretas”, acrescentou.

O vereador José Rangel (PDT), que se declara independente na Câmara, ressaltou que não ouviu o prefeito falar “soteropolitanos”, mas de fato a palavra estava no discurso entregue aos parlamentares.

“Acho que ele percebeu e não falou, mas ficou muito esquisito. Os projetos que ele anunciou são mesmo de Caicó. Mas nas partes mais emotivas, o discurso é bastante parecido com o do ACM. É lamentável. A gente não precisa disso. Ele só tem que dizer o que foi realizado e o que pretende fazer, nada mais”, ponderou.

‘Formatação’

Procurado pelo G1 nesta quinta-feira (22), o prefeito afirmou que estava em reunião e solicitou que a reportagem entrasse em contato com o chefe de gabinete Eduardo Dantas, para falar sobre o assunto. De acordo com Dantas, Batata não plagiou o discurso de ACM Neto, mas usou o texto do colega baiano para embasar a “fomatação” do discurso.

“O discurso trouxe todas as ações desenvolvidas pela Prefeitura de Caicó em 2017, o que vai acontecer neste ano e nos próximos. O prefeito se baseou no discurso de uma administração bem vista, como a do prefeito de Salvador, mas apenas na formatação. Todas as ações anunciadas, uma série de obras em infraestrutura, serviço social, recuperação de convênios que iam ser perdidos – tudo isso está acontecendo em Caicó. Um dos principais projetos, que é do asfalto, está acontecendo agora mesmo”, declarou o chefe de gabinete, Eduardo Dantas.

Ainda de acordo com Dantas, apesar do “erro de formatação” que deixou a palavra soteropolitano no texto, o prefeito não leu essa parte durante o discurso.