Pedido da diretoria ocorre para evitar confusões e, consequentemente, uma nova punição (Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)

O Flamengo divulgou um comunicado nesta quarta-feira (21) no qual faz um apelo à torcida. O clube solicitou aos rubro-negros que não compareçam no Estádio Nilton Santos no próximo dia 28 de fevereiro, quando a equipe carioca enfrenta o River Plate na estreia da fase de grupos da Libertadores.

O time da Gávea foi punido pela Conmebol por conta das confusões na final da Sul-Americana de 2017, contra o Independiente, no Maracanã, e terá de jogar esse e o próximo jogo como mandante na Libertadores com portões fechados.

O pedido da diretoria ocorre para evitar confusões e, consequentemente, uma nova punição. O Flamengo acredita que parte de sua torcida no Rio de Janeiro apareça no entorno do estádio para apoiar o time, mesmo que do lado de fora.

Veja o comunicado na íntegra:

“Por conta do comportamento irresponsável de alguns indivíduos na final da Copa Sul-Americana no ano passado, o Flamengo foi punido pela Conmebol e será obrigado a atuar com portões fechados em duas partidas da Taça Libertadores da América este ano, a começar pelo jogo contra o River Plate, dia 28 de fevereiro, no estádio Nilton Santos.

Esta situação é na verdade uma agressão à bela e histórica relação simbiótica entre o Flamengo e sua torcida. Tal fato lamentável causou enormes prejuízos ao clube – esportivos, financeiros e para a imagem da instituição – e não pode acontecer novamente, sob pena de nova punição, que poderia ser até mais dura em função de reincidência.

Portanto, o Flamengo vem a público pedir a conscientização de seus torcedores para que não se direcionem ao estádio Nilton Santos e não se aglomerem no entorno do mesmo. Solicita também que não sejam promovidas manifestações em frente ao hotel em que a delegação do River Plate estará hospedada.

Ciente também do papel das autoridades públicas na organização de eventos esportivos no Rio de Janeiro, o Flamengo encaminhará ofício ao General Walter Souza Braga Netto, interventor federal para a segurança no Rio de Janeiro, à Casa Civil do Governo do Estado do Rio de Janeiro, ao Comando Militar do Leste, ao Comando da Polícia Militar do Rio de Janeiro, à chefia da Polícia Civil, à Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro e ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro com informações a respeito do jogo e solicitação de segurança no entorno do estádio e no translado das delegações, em especial a do River Plate, até o local da partida.

Clube de Regatas do Flamengo”