Pré-candidato a governador do RN, Carlos Eduardo Alves e o primo Henrique Alves (Foto: Reprodução)

O deputado federal Fábio Faria (PSD) disse na segunda-feira, dia 19, que o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), tem faltado com “solidariedade” para com o primo e ex-ministro Henrique Alves (PMDB), desde que este foi preso nos desdobramentos da Operação Lava Jato.

Em entrevista à 98FM, o parlamentar afirmou que Carlos Eduardo só foi reeleito graças à “grande ajuda” de Henrique. Fábio apontou que, em contrapartida, o prefeito natalense sequer visitou Henrique na Academia de Polícia Militar, onde o peemedebista está preso desde junho de 2017.

“Carlos Eduardo só foi reeleito em 2016 porque teve grande ajuda do ex-deputado Henrique Alves. Justiça seja feita. Era para Carlos Eduardo ser solidário. Carlos Eduardo deve o que ele conseguiu realizar ao ex-deputado Henrique Alves, e ele sequer o visitou [na prisão]. Faz nove meses que ele está lá preso e [o prefeito] nunca o visitou”, criticou.

O deputado lembrou que Carlos Eduardo não está livre dos olhos da Justiça, uma vez que secretários nomeados por ele foram incluídos nas investigações da Cidade Luz, operação que apura desvios na Secretaria de Serviços Urbanos (SEMSUR).

“Antes de falar dos outros, ele tem que olhar para a Cidade Luz, que teve três secretários dele presos”.

Fábio ainda acusou o prefeito de cometer “estelionato eleitoral” por vender aos seus eleitores uma cidade diferente daquela vista na realidade. “Ele cometeu estelionato eleitoral. Vendeu uma Natal na campanha, e no primeiro mês depois de 2016 já atrasou salário. Ele vem atrasando salários e não pagou o décimo. Carlos Eduardo passa como se atrasasse menos, para que batam no Governo do Estado; é uma cortina de fumaça”, concluiu o parlamentar federal.